"Cansados da eterna luta por abrir um caminho pela matéria bruta, escolhemos outro caminho e nos lançamos, apressados, aos braços do infinito. Mergulhamos em nós mesmos e criamos um novo mundo."- Henrik Steffens

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

[...]

Levaram as poesias
As músicas...
Os filmes...
Os livros...
As prosas...
As lembranças...
As imagens...
Alguns momentos...
Eu fiquei!

4 comentários:

  1. As lembranças também? Certeza? E o que sobrou de você?
    Eu sou só perguntas.

    ResponderExcluir
  2. Ora! Pois lhe digo que me sobrou o fôlego...Bom que dá pra se reconstruir, tantas vezes quantas forem necessárias! Se descontruir e contruir tudo de novo... E fazer cada alento o penúltimo... O que não é de todo mal! A gente se [re]inventa sempre de um jeito diferente!!!

    Eu?! Sou todo o drama! ^^

    ResponderExcluir
  3. Sempre ficamos! Somos tão atemporais!

    ResponderExcluir
  4. achei que esse texto eterniza um ato de desconstrução das emoções...mas como ficou você e o ser humano é dotado da magia de resnascer, uma reconstrução pode ser alavancada a partir daí, meio que: vão os anéis e ficam os dedos...ora, nem tudo que sobra é resto...claro que pode e deve ser sim, ponto de partida para um novo começo, um novo "eu"

    ResponderExcluir

Deixe-se...